AN EMOTIONAL MAP FOR FUTURE CITIES

Slow Cities are like Bebinca cakes. They need time and patience to be built.

Realidade mista, uma ponte entre pessoas, dígitos e objetos

Nós vivemos na interceção de vários grandes mundos: 1) o mundo da natureza dada, i.e. das coisas físicas e da vida, telúrico, termodinâmico, sensorial, visível, audível, palpável, relacional, subjetivo, afetivo; 2) o mundo do reconhecimento e aprendizagem, da memória e da ação; 3) o mundo da informação; 4) o mundo das linguagens e da comunicação; 5) e o mundo da invenção e da arte, de onde emergem os objetos—reais e virtuais— fabricadas por nós.

Este último mundo—o mundo da técnica— permitiu, ao longo das últimas sete décadas, o nascimento de uma nova realidade: o mundo digital, povoado de redes e nuvens de máquinas, sensores, algoritmos, agentes e pacientes humanos e pós-humanos que interagem de forma consciente ou inconsciente, e do qual emergiu uma extensão da realidade humana.

O programa de uma Segunda Cidade decorre, pois, da emergência da realidade aumentada e da realidade mista, tendo como ponto de partida o cruzamento e a partilha entre uma cidade material, a cidade emocional e a cidade digital.

A transformação que se propõe para a cidade será também, ou fundamentalmente, uma transformação social utópica, orientada por novos e sofisticados mapas de democracia.

Democracy Maps by António Cerveira Pinto on Scribd